Podcasts feitos por celebridades: vale a pena ouvir?

9 março 2018 Por Mundo Podcast
Podcasts feitos por celebridades: vale a pena ouvir?

Neste último dia Internacional das Mulheres, em 8 de março, a atriz Gwyneth Paltrow (você deve lembrar dela como a personagem Pepper Potts de Homem de Ferro) lançou um podcast da sua marca Goop, um empreendimento que trata sobre estilo de vida saudável e natural e que envolve uma linha de produtos, coaching, site, revista e agora também conta com essa nova plataforma de áudio. Isso gerou toda uma agitação na internet (nas gringas pelo menos), ainda mais pelo nome de peso escolhido para ser a primeira convidada, ninguém menos que Oprah Winfrey, a apresentadora mais famosa da América.

O resultado desse encontro de celebridades foram discussões sobre espiritualidade, meditação e o movimento #MeToo, permeando assuntos sérios com eventuais piadas e zombações, com aquela naturalidade de conversa casual proporcionada pelos podcasts. Isso nos leva a refletir sobre a inclusão e estabelecimento de pessoas já famosas e renomadas nesse tipo de mídia, quais os benefícios para elas e se trariam um conteúdo relevante que vale a pena ser ouvido e não apenas reunindo ouvintes fãs de seu trabalho nas telinhas, palcos ou o que seja que as elevou ao sucesso.

Apesar de podcasts encabeçados por celebridades não ser algo comum no Brasil, lá fora essa é uma prática mais popular – talvez justamente por esta ser uma das mídias que mais crescem nos Estados Unidos e gera uma receita milionária, enquanto que em nosso país o cenário é positivo, mas ainda tímido. Atores como Alec Baldwin e cantores como Snoopy Dogg mantém seus podcasts sempre atualizados e com conteúdo frequente, mas com temáticas variadas.

O primeiro, quando não está atuando como o presidente no programa de comédia Saturday Night Life, convida celebridades e políticos para o seu Here’s The Thing para conversar sobre o que os motiva em sua carreira e vida em geral. Dentre os nomes que já passaram pelo programa podemos citar o comediante Chris Rock, o estrategista político Ed Rollins e o ator vencedor de Oscar Michael Douglas.

Já o rapper mantém o Snoop Dogg’s GGN Podcast – ou Double G News (Notícias do duplo G) – um programa em que entrevista outras celebridades do mundo do showbiz como Khloe Kardashian, Ice Cube e DJ Khaled, fazendo perguntas diretas e cruas, e trazendo comentários sobre a vida nas ruas, no melhor estilo “gangsta”. Um programa divertido e indicado para aqueles que se interessam pelas vidas desses astros internacionais.

Já para quem está a procura de um conteúdo mais informativo ou segmentado, existem outras opções e não são poucas. Alguns podcasts trazem a fundo o ambiente e geram discussões sobre a profissão de seu anfitrião, como o Full Contact Poker feito por uma lenda desse esporte. O programa criado pelo profissional Daniel Negreanu traz informações e debates sobre o poker, suas técnicas, torneios etc. No primeiro episódio, por exemplo, ele e seu convidado discutiram o patrocínio do poker desde os primeiros dias desse esporte mental até o cenário atual.

Outro ídolo esportivo que possui seu próprio programa é o ex-jogador de basquete Shaquille O’Neal. O The Big Podcast traz semanalmente tópicos diversos, misturando um papo mais sério com frivolidades. Em seu podcast ele cobre as últimas notícias mundiais, conta burburinhos e controvérsias do mundo do entretenimento e histórias de sua própria vida, além de falar bastante sobre o esporte. Alguns convidados famosos incluíram Adam Sandler, Kim Kardashian e Justin Bieber.

A atriz Anna Faris, mais conhecida pela participação na franquia Todo Mundo em Pânico, juntamente com a produtora Sim Sarna criaram um podcast que já tem uma temática um pouco diversa da dos anteriores. Ao invés de trazerem fofocas de famosos, falar sobre suas carreiras ou dissecar profissões, discutem relacionamentos e os problemas diários com os quais todos convivemos em seu Anna Faris is Unqualified. Agindo como cupidos do mundo moderno, dão dicas valiosas baseadas em suas próprias experiência de vida, com uma pitada de humor. Como a própria descrição oficial do programa diz “Conselhos de relacionamentos não tão bons de tipos completamente não qualificados de Hollywood”.

Ainda há diversos outros exemplos que poderíamos citar. E se você entende ou pretende treinar seu inglês – e gosta dos assuntos que citamos – pode dar uma chance a estes podcasts. O interessante seria que eles conseguissem influenciar artistas nacionais a criarem seus próprios programas, ajudando assim a aumentar e popularizar essa mídia cada vez mais entre os brasileiros.

Euler ETI Euler ETI