3 Pequenas Empresas de Sucesso e suas Histórias de Podcast

25 fevereiro 2013 Por Kell Bonassoli
3 Pequenas Empresas de Sucesso e suas Histórias de Podcast

Postei esta tradução originalmente no Podmidia e resolvi trazer para o Kellices para que possamos discutir sobre os rumos do podcast corporativo aqui no Brasil.

 

3 Pequenas Empresas de Sucesso e suas Histórias de Podcast

Há uma chance do seu negócio ser interessante para o público em geral, talvez ele possa ter ligações com um show de rádio nacional, e talvez este show tenha audiência regular.

No entanto, o caso mais provável é que você esteja trabalhando dentro de um nicho bem específico da indústria.

Neste caso, um podcast é uma opção mais realista e não necessariamente inferior.

Se bem feito, um podcast pode atingir as pessoas certas em sua indústria, estabelecer a sua empresa como líder de pensamento, conectá-lo com seus clientes e atingir as pessoas em seus próprios horários.
Estes três podcasts pertencem a empresa que com seu sucesso alavancaram utilização da mídia podcast para atender seus objetivos de negócios.

1. Ready, Set, Knit: Seja autêntico e Informativo

kathy e steve

Kathy e  suas mantas e Steve Elkins, o maior fornecedor independente de suprimentos para tricô, crochê e tecelagem dos Estados Unidos.

Apesar de terem uma loja de 16 mil metros quadrados de varejo, a maioria de suas vendas acontece online.
Assim, quando uma estação de rádio local pediu para fazer um programa semanal e um podcast sobre tricô, eles viram nisso uma grande oportunidade de se conectar com seus clientes geograficamente dispersos de uma forma pessoal.
“É como convidar as pessoas para a loja para tomar uma xícara de chá, e é a mesma conversa que eu teria como se eu estivesse sentado lá fazendo tricô com eles”, explica Kathy. “Não é difícil e nem de vendas agressivas, é informativo.”
208 podcasts mais tarde e com cerca de 13 mil ouvintes por semana, os resultados são evidentes nas vendas da empresa.
Quando ela e seu marido discutem sobre um fio especial ou sobre uma nova padronagem em seu programa, Kathy pode ver o tráfego da página da empresa atingindo picos de acesso.

As pessoas escrevem e-mails perguntando como foi o jogo de hóquei de seus filhos, questionam sobre trivialidades que eles acabam dividindo no ar, expondo. Kathy chegou a  ser reconhecida por sua voz em feiras.

O que fez sucesso?

Kathy cita promover o podcast sobre a companhia em outros canais de mídia social, mantendo o conteúdo interessante, que adere a um cronograma, e recomenda não usar o podcast como um comercial.
“Seja fiel a quem você é”, diz ela. “Você não tem que ser super formal, você não tem que ter a voz do rádio  – você tem que ser autêntico.”

 

2. More Hip than Hippie: Pense Global, mesmo se você estiver local

Um dia a Greenfeet.com percebe que  enfrenta um problema na conexão com seus clientes online.more-hip-than-hippie

O fundador e presidente da empresa eco-friendly e-varejista, Valerie Reddemann, encontrou no podcast uma boa maneira de interagir com clientes no mundo inteiro. Foi especialmente eficiente na criação evangelistas da marca.
“Eles tornam-se extremamente entusiasmados”, Reddemann diz. “Eles realmente se conectaram com a empresa, e eles entendem que somos mais do que apenas uma empresa … São pessoas que eu acho … que mencionam os nossos nomes para a família e amigos, que falam de nós em seus blogs, que tweetam sobre nós. ”
O podcast abre com uma canção de rock e passa a discutir novos produtos eco-friendly, assim como questões quentes em ambientalismo.

Os anfitriões também fazem um esforço para incluir o público, tanto quanto possível.

Eles freqüentemente fazem referência a comunicação  do ouvinte, lendo e-mails, ou entrevistando  ouvintes  no podcast.

Estes ouvintes, como clientes Greenfeet.com , estão espalhados por todo o mundo. Ao longo de mais de cinco anos de execução do podcast, cerca de 1,2 milhões de pessoas já baixaram. A maioria dos ouvintes vivem nos Estados Unidos, mas a China, Cingapura, Reino Unido, Canadá, Austrália e Irã também compõem porções significativas.

É inspirador para nós estar em contato com essas pessoas, Reddemann diz. E ela tenta responder a cada e-mail que ela recebe sobre os podcasts.
“A idéia é que você dê a seu público o que eles estão procurando”, diz ela. “Mas se você não pedir sua opinião, como você saberá?”

 

3. Beyond the Book: Estabelecendo-se como Expert e aumentando seu público-alvo

 

beyond the bookUma empresa de licenciamento de direitos autorais, a Copyright Clearance Center tem seu podcast semanal, Beyond the Book,  para estabelecer a sua especialização na indústria editorial.

“É apenas a consciência do nosso papel neste negócio”, diz Chris Kenneally, Diretor de Desenvolvimento de Negócios para a empresa, assim como o produtor e apresentador do podcast. “Eu não me  restrinjo a sempre falar sobre direitos autorais, mas sim sobre tudo o que acontece no mercado editorial e, finalmente, tenho foco no direito de autor – explicando o que e que eles podem fazer para maximizar seu retorno este direito.”

O podcast na verdade começou como uma série de conferências trimestrais com o mesmo nome, mas a quantidade de pessoas disponíveis em um tempo específico em um lugar específico para atender as conferências eram limitadas.

Com o podcast, é possível chegar a muito mais pessoas por um custo menor.

Apenas 60 pessoas baixaram o podcast durante o seu primeiro mês de outubro de 2006. Mas hoje, cerca de 17.000 pessoas baixam seus episódios a cada mês.

 

Dicas para criar um podcast de sucesso

Depois de ver o potencial de podcasts desempenhar um papel importante nos planos de marketing em 2005, Rob Simon lançou Burst Marketing, uma empresa especializada na produção de podcasts para pequenas empresas. Simon produz atualmente cerca de uma dezena de podcasts, incluindo o Beyond the Book.

Estas são as suas dicas para fazer o seu sucesso:

 

  • Frequência consistente: Assim como um jornal ou revista, os ouvintes de podcast  esperará um novo episódio de seu podcast em um intervalo regular. Se você não entregar, você vai perdê-los.

 

  • Determinar o seu público: Pense sobre as informações que as pessoas que você pretende alcançar desejam. Geralmente, este não é um comercial sobre a sua empresa.

 

  • Promova o seu Podcast em outro lugar: “Você não pode esperar que as pessoas encontrem o seu podcast”, diz Simon. Promova em seu site, Twitter, Facebook e no rodapé de seus e-mails.

 

  • Seja paciente: “É preciso um tempo para um podcast para pegar, e poucos se tornam grandes sucessos Não se apegue aos números Se você está tentando ser um líder de pensamento, talvez 1.000 das pessoas certas sejam melhores do que.. 10.000 pessoas aleatórias “.

 

via Mashable

Kellices discute

Ok, tudo muito lindo, mas como as coisas tem funcionado por aqui?

Eu não conheço nenhum podcast que seja sequer parecido com estes casos que citei acima. O que mais tenho visto são duas situações: propaganda direta em podcast, podcast patrocinado por empresas.

Então eu quero saber de vocês o que vocês pensam desta abordagem que já é feita e como poderiam ser podcasts de empresas que vocês certamente ouviriam.

Vou dar um exemplo.

Se eu fosse uma companhia aérea eu faria um podcast sobre Roteiros de Viagem convidando pessoas que realmente são referência no assunto e um host carismático para destrinchar um local por episódio. Eventualmente, ofereceria promoções com códigos de desconto escondidos para os ouvintes deste podcast. Não me restringiria a divulgar isto na página da empresa, pelo contrário. Teria um blog próprio e parceria com blogueiros da área, pessoas que fazem mochilão e tudo o mais.

No caso desta empresa, ela certamente não precisa tanto vender mais e sim mudar sua imagem perante as pessoas. Este tipo de programa certamente poderia ajudar nesta missão e iria de encontro com a grande febre do momento “A Transmídia”, ou seja, ações complementares e interligadas em diversos meios de comunicação, seja a mídia tradicional ou a digital.

Perceberam o potencial do podcast corporativo?

Consegue inventar um podcast para uma empresa?

Divida sua ideia com a gente aqui nos comentários.