Falhas do meu primeiro podcast

15 dezembro 2014 Por Thiago Miro
Falhas do meu primeiro podcast

O Telhacast está chegando ao centésimo episódio e posso dizer com toda certeza: Se eu não tivesse cometido tantas falhas comuns que a maioria esmagadora dos novos podcasters cometem, certamente estaríamos muito mais consolidados como produtores.

Não quero dizer que a situação atual do site como um todo é ruim, mas é notório que se eu tivesse estudado e pensado antes de tudo, hoje em dia atingiríamos muito mais gente. Por isso, vou expor quais foram essas falhas, as quais ainda vejo muita gente cometer, esperando que você, que está atualmente iniciando um podcast, não as cometa igualmente.

Falha #1 – A escolha da Temática

O Telhacast nasceu com a ideia de falar “o que se dá na telha”. Isso só aconteceu nos 30-40 primeiros episódios, mas esse tipo de publicação não estava me agradando, então pouco-a-pouco os temas foram mudando, mudando… A linha de temas mudou, a forma de abordagem mudou. Falar “o que dá na telha” não mais faz parte desse podcast. Hoje queremos fazer alguma diferença para quem nos ouve.

Se fazemos ou não essa diferença na vida dos ouvintes, não vou ser arrogante para dizer que fazemos, mas esse é o objetivo.

Por que isso aconteceu?

Porque eu não pesquisei, eu não busquei me informar. Apenas comecei mais um podcast sobre temas variados que não se aprofundava como eu gostaria, que não fazia diferença para quem ouvia.

Hoje em dia temos uma linha de temas e um público-alvo definido. Por conta disso nossa audiência está atingindo as pessoas certas e o resultado só me dá satisfações. Levei muito tempo para isso, não faça o mesmo. Defina-se antes de começar.

Bons exemplos

Novíssimos podcasts com linhas já definidas: Temacast e Mamilos.

Falha #2 – O Nome do Podcast

A ideia de “falar o que dá na telha” gerou o nome Telhacast. Quem sabe o que é podcast pode supor várias coisas, mas nunca acertará a linha de temas que abordamos. Para quem não sabe o que é podcast a situação é pior ainda, “Telhacast” não quer dizer qualquer coisa.

Em breve, assim como ocorreu com o site, o podcast também mudará de nome e trará algo que fale mais por si mesmo. E mais uma vez, foram necessários mais de 100 episódios para isso acontecer.

Não existem regras para definir um nome, mas imagine você mesmo acabando de conhecer um podcast com o nome que você escolheu. O que ele lhe diz? Despertaria a sua curiosidade para ouvir?

Falha #3 – Um Site Amador

Logo do Telhacast em 2011-2012

Logo do Telhacast em 2011-2012

Esse foi um grande erro que cometi e que todo dia pego no pé de pessoas que chegam até mim cometendo o mesmo erro: Não querer gastar dinheiro em estrutura e design.

O visual é uma das partes mais importantes em qualquer tipo de empreendimento, pergunte isso a qualquer publicitário. Uma vitrine bem feita e um layout profissional geram muito mais visitas que um site feito de qualquer jeito. E para manter um bom visual é necessário ter uma boa estrutura de servidor.

O argumento que mais vejo é “vou esperar para ver se dá certo, então aí eu invisto”. Cara, como assim? Primeiro você investe e depois você faz dar certo. Onde já se viu colher antes de plantar?

Em 2011 comecei este site usando um domínio gratuito do Blogger, foram quase 20 episódios para essa mudança finalmente acontecer e os frutos são colhidos hoje em dia.

Isso é básico, invista para dar certo. O inverso rarissimamente vai acontecer.

Falha #4 – Equipamento Ruim

Felizmente esse tipo de falha ocorre cada vez menos, tenho visto cada vez mais as pessoas buscando melhores equipamentos para iniciarem seus podcasts. Eu comecei usando um microfone meia-boca de um fone de ouvido qualquer, que no meu ponto de vista era bom, mas triste engano o meu. O áudio era horrível.

Assim que comprei meu primeiro LX3000 eu me senti saindo da Matrix, ou melhor, da panela de pressão. =P

Fazendo um comparativo com Vlogs, você gosta quando a iluminação e o áudio são ruins? E se o vídeo não for em HD, você assiste? Então por que não ter o mesmo critério com podcasts?

Independente da qualidade do conteúdo, atualmente é imprescindível ter um áudio minimamente de boa qualidade. Cai no mesmo paradigma do item anterior, invista antes para ter bons resultados.

O Mamilos é um exemplo de novíssimo podcast que de cara já impressiona pela qualidade do áudio. Em seguida o conteúdo te faz permanecer ouvindo.

Falha #5 – Edição e Publicação

E finalmente, a primeira publicação on-line.

Eu publiquei a primeira gravação/edição que fiz. Foi muito mal feita e a mantenho no ar ainda apenas para que vejam a evolução que tivemos neste quesito.

E mais uma vez, se eu tivesse me informado melhor, me preparado melhor, aquele episódio sobre o Rock in Rio jamais teria ido ao ar. Eu deveria ter gravado e editado algumas coisas para aprender, pegar ritmo e só então publicar meu primeiro episódio.

Tenho pena de quem ouviu aquele episódio na época e até hoje deve correr quando lê “Telhacast” em algum lugar.


Entenda este texto como quiser, seja como boas dicas ou como uma elitização do processo. Essas foram falhas que eu julgo ter cometido e minha intenção é fazer com que você inicie sua vida podcastal como menos problemas do que eu tive.

Ninguém faz podcast para si mesmo, faz para ser ouvido e não é porque você está começando apenas por hobby (como eu) que deve ser feito de qualquer jeito. Se vai fazer algo, faça bem feito. As suas chances de “dar certo” serão maiores.

Euler ETI Euler ETI