Parece Podcast mas não é

6 janeiro 2013 Por Kell Bonassoli
Parece Podcast mas não é

Será que ainda tem gente que não entendeu o que é podcast?

Sei que é feio responder a própria pergunta, mas o caso é que tem sim. Tem gente que não sabe o que é podcast e pior ainda, tem gente que acha que tem um podcast, mas não tem. Rá!

Parece podcast, mas não é

 

Tenho um programa de áudio no youtube, ele é um podcast?

Não.

Tenho um blog e disponibilizo todos os meus programas no 4shared semanalmente. Tenho um podcast?

Não.

Tenho um canal no Soundcloud, lanço episódios de mp3 editados com muito capricho. Tenho um podcast?

Não. (Exceto se você fizer isto aqui ó)

Tenho player de áudio no meu blog e até sou cadastrado em vários agregadores mas acho bobeira esse lance de feed. Tenho um podcast?

Não.

 

O que é podcast?

Em todos estes casos e em muitos outros, omissos a este post, as pessoas tem programas de áudio, alguns até de excelente qualidade, mas que não estão atrelados a feed.

A regra é clara: não tem feed, não é podcast.

Sendo assim, o que temos em todos estes casos seria mais adequadamente chamado de audiolog.

O podcasting é uma forma de transmitir um conteúdo digital via internet, conhecido como podcast, para ser ouvido em um iPod ou outro aparelho que reproduza e receba este tipo de arquivo e é transmitido diretamente ao assinante via Feed RSS possibilitando ao usuário receber cada novo conteúdo automaticamente, eliminando a necessidade de visitar cada site para ver se existem atualizações. [2]

Este formato de distribuição, direta e atemporal, permite que o conteúdo seja usufruído de acordo com a demanda do assinante que tem liberdade para escolher o momento em que deseja ouvir o podcast.

A grande confusão acontece no fato de que chamamos de podcast tanto o meio em que os episódios são disponibilizados quanto o próprio episódio em si.

Formalmente, eu poderia dizer: “Ouvirei  um arquivo de mídia disponibilizado em podcast”.

Apesar da forma acima estar tecnicamente correta, o comum é: “Vou ouvir um podcast”.

Tendências

Algumas pesquisas de podcasters resultaram na constatação de que grande parte do seu público ouve seus episódios no computador. Outros ouvem no smartphone através de podcatchers que fazem streaming de seus episódios, ou seja, ouviram o episódio online.

O podcast é uma mídia que foi pensada para ser degustada desconectado da Matrix, uma forma de dispensar a necessidade de conexão com a internet para usufruir do programa.

Toda vez que alguém que tem um audiolog se autodenomina podcast, uma fadinha cai morta em Neverland.

O fato é que hoje, com as atualizações das plataformas mobile e dos serviços de internet, poucas pessoas ficam de fato desconectadas, pensando nisto, surge a indagação: será que o feed tem sido deixado em segundo plano?

Disseminar conhecimento, educação e entretenimento pela internet através de um arquivo de áudio é algo que merece crédito, mas a impressão que eu tenho é que, no Brasil, a palavra podcast foi corrompida de seu sentido original e hoje é de senso comum que ela só se refere ao produto (episódio) e não a sua forma de distribuição (feed). (e como explicado acima, esta crença é incorreta)

O que você acha? Será que o feed está fadado ao desuso ou será que estes casos que citei acima deveriam criar seus feeds para deixar de ser pseudo podcasts?

Comentem abaixo.