O podcast precisa ser atemporal?

20 abril 2014 Por Kell Bonassoli
O podcast precisa ser atemporal?

Ano passado eu comentei sobre o Spreaker neste post, mas senti necessidade de resgatar mais algumas particularidades desta plataforma para falar do tema de hoje.

A maioria dos produtores de conteúdo cita que a cauda longa e a atemporalidade dos episódios de podcast são vantagens estratégicas que permitem que seus programas sejam ouvidos mesmo após vários anos de seu lançamento, porém será que esta é uma característica que vale ser cultivada sempre?

Tenho notado o surgimento de Podcasts que tem se disseminado em ferramentas mais rápidas como o Tumblr e noto que muitos portais estão seguindo a tendência dos posts em áudio, sem falar das coletâneas diárias ou semanais com notícias que são, por sua própria natureza, qualquer coisa, menos atemporais. (sim, talvez você ache que há uma contradição aqui. Leia este post e faça a pergunta correta 😉 )

Desta forma eu me pergunto e convido você leitor a refletir sobre esta questão:

Será que todo podcast precisa ser atemporal?

Enquanto caminhamos para edições caprichosas e cheias de efeitos, roteiros detalhados e precisos e temáticas de cauda longa, tem podcast no caminho inverso, é uma obsolescência programada, mas necessária, pois notícias deixam de ser novidade de forma muito rápida e a ferramenta podcast é uma excelente alternativa para nos mantermos informados de uma maneira mais dinâmica do que através da leitura, afinal, podemos ouvir podcast enquanto atentamos para outras atividades, já a leitura requer um contexto físico mais complexo do que nossos foninhos exigem.

A maior qualidade do podcast é o poder de propagar a voz do produtor de conteúdo de forma rápida e barata. E da mesma forma que hoje é tão simples começar a blogar, deveria ser simples podcastear.

E é aí que entram ferramentas como o Spreaker.

Claro que você pode fazer episódios rápidos e datados utilizando todas as técnicas que já divulgamos na Coluna Podcasteando, porém a plataforma Spreaker tem se tornado cada vez mais popular pelas facilidades que oferece ao produtor de conteúdo. Com ele você sequer precisa ter um blog!

É útil para as possibilidades que eu citei acima, mas não apenas para isto.

Serve também para músicos que querem divulgar seus trabalhos, para jornalistas que querem divulgar um evento de forma rápida em seus canais ou redes sociais, serve para escritores que querem divulgar trechos das obras que estão escrevendo, serve para humanos comuns como você e eu, que volta e meia pensamos em algo tão legal e queremos dividir.

Em tempos multimidiáticos, escrever é pouco!

Não requer prática e nem muita habilidade

No Spreaker você cria seu canal e ele já produz feed, player e tem uma plataforma intuitiva para você detalhar suas tags, fazer upload do áudio e da vitrine e além disto, permite replicar seu conteúdo no soundcloud e no youtube automágicamente.

Oferece também estatísticas e o seu conteúdo pode aparecer relacionado com outros conteúdos de tags semelhantes, ou seja, é uma plataforma, mas também é uma rede social.

A plataforma oferece uma solução perfeita para quem quer algo fácil, rápido e pronto.

Além da versão desktop, a app do Spreaker está disponível para dispositivos Android, iPhone, iPod e iPad e para Windows Phone.

Também é possível fazer transmissões ao vivo.

Então você pode tanto gravar usando seu computador, quanto diretamente do seu celular ou tablet. Isto facilita muito para aquela ideia de cobertura de eventos.

Para quem quer tentar algo mais imediatista ou para quem não quer se preocupar com a parte técnica do podcast, esta é uma ótima saída.

Na opção gratuita você pode fazer 30 minutos de transmissão ao vivo e pode armazenar até 10 horas de áudio, os planos pagos são um pouco salgados, mas pagar 39 dólares por ano para ter direito a 100 horas de armazenamento pode valer a pena caso você não queira manter a hospedagem para um blog.

Nem só de Spreaker vive o podcast

É claro que o uso para a ferramenta é feito da forma que o produtor de conteúdo bem entender e é igualmente verdade que não é a ferramenta que determina o conteúdo, na verdade, aqui no Brasil ainda tem pouca gente usando o Spreaker

A maioria dos produtores nacionais já tem suas estruturas proprietárias para suprir a hospedagem de seus podcasts sem ter que recorrer a sites de terceiros já que quase todos os podcasters produzem outros tipos de conteúdos para melhorar o ranqueamento dos seus blogs nas buscas.

Independente da ferramenta que apresentei, acredito que vale a reflexão sobre os caminhos que o podcast pode tomar, sobre as possibilidades que talvez tenhamos deixado passar e sobre as diversas formas de deixar podcast tão popular quanto blogs e youtube.

De tempos em tempos eu fico extremamente irritada quando acho que tudo está ficando muito igual, por isto, comemoro e incentivo o novo e o diferente.

Se com este post eu tiver conseguido criar uma pequena interrogação ou, quem sabe, uma ideia cheia de exclamações, já terá valido a pena 😉

Euler ETI Euler ETI