Podcasts na grade escolar

14 outubro 2014 Por Pedro O'Portuga
Podcasts na grade escolar

O Reino Unido está a implantar o Podcast como meio de ensino na grade das escolas e universidades. A ideia tem como objetivo gravar as aulas neste formato, para que os alunos possam seguir ou rever a matéria, por exemplo, em casos de falta de comparência*.

Outra inovação será o apoio do Ministério da Educação, disponibilizando verbas para podcasters independentes que produzam podcasts didáticos e que possam ser utilizados como fonte de ensino, tendo que para isso ser avaliados pelo governo e por um grupo do corpo docente de várias escolas onde a ideia será implementada.

A minha pergunta é: Será que no Brasil isto também funcionaria?

Para podermos responder, temos que ter em conta vários fatores. O principal fator será a avaliação do podcast, onde a linguagem terá que ser moderada e o nível de fidelidade das fontes terá que ser alto.

Se avaliarmos a atual podosfera brasileira com estes parâmetros, acredito que apenas 3 ou 4 podcasts passariam no teste. Não estou a ver a presidenta Dilma (que também já foi “estudanta”), aprovar podcasts que em tanto tentam denegrir a imagem do nacionalismo ou patriotismo. O mesmo se passará com professores, que na altura da aprovação, não irão tolerar expressões como “vem nim mim”.

Por outro lado, vejo dentro da podosfera brasileira pessoas capazes de fazerem um excelente trabalho, mas isso faria com que muitas delas nos deixassem de presentear com assuntos como vida social, mitos ou mesmo teorias da conspiração. Os podcasters passariam a criar os seus programas com o intuito de ganharem a aprovação (grana) oferecida pelas entidades reguladoras e perderiam a sua liberdade de expressão, que no meu entender é o que faz da podosfera uma mídia diferente de todas as outras. E já agora, onde entraria a interação com os ouvintes? Comentários como “obrigado pela ajuda, passei no exame graças a vocês” em nada acrescentaria ao debate pós-episódio.

Enfim, há coisas que nunca mudam e espero que a liberdade de criarmos podcasts com assuntos que nos dão prazer seja uma delas e isto aplica-se não apenas para o assunto supramencionado, mas também para as ocasiões em que os podcasters “se vendem” por ninharias para supostos patrocinadores que exigem que a temática do podcast seja alterada.

Saudações podosféricas.