Po(D)ema #94 - A Sua Jornada - Mundo Podcast 

Po(D)ema #94 – A Sua Jornada

11 setembro 2014 Por Mundo Podcast
Po(D)ema #94 – A Sua Jornada
  • Texto: A Sua Jornada
  • Autor: Erika Figueira
  • Interpretaçío: Erika Figueira (@erikapes)
  • Música: Instrumental
  • Duraçío: 3min17s

Arte da vitrine: Rodrigo Sena

Erika Figueira - A Sua Jornada

Este Po(D)ema faz parte de uma série. Parte 7/24.

A Sua Jornada

Tudo que é legitimamente teu, reside no silêncio e pode ser resgatado pelos seus sonhos, e estes residem em palavras presas na garganta, versos nío ditos, músicas que nío foram compostas, atuações que nío se limitam a palcos.

Tudo que é teu, é só o que se pode sentir no escuro, se manter na desgraça, mas nío se corrompe a cada passo da tua vida.

Tudo que é teu é mais singular que sua impressío digital, possui cores mais infinitas e particulares do que a documentaçío da tua í­ris (inquilina dos olhos).

Se o que te pertence está adormecido, persiga dragões, enfrente fúrias e acalente seus castigos-¦enquanto suas idéias dormem plácidas em seus castelos e trepando com suas mentiras, suas verdades estío libertas ao vento, rodopiam em redemoinhos, te salvam a qualquer momento mesmo que estejam enclausuradas em masmorras, afogadas em submundos do abissais.

Corremos na direçío oposta do que é nosso, fugimos das excentricidades que nos salvam, ignoramos toda a simplicidade que nos faria feliz.

Desconectamos do prazer, corrompemos a idéia de bem estar, a alegria é soterrada e separada-¦da paz, nío somos treinados pra enxergar esta cega que paira em algum comodo do porío de nossas mentes.

Aquela idéia que você teve um dia, e por ela te apontaram como sendo um estranho-¦lembra? Antes de você a guardar em um baú e jogar a chave fora, tentava escapulir e gritar que ela que é a tua alma, e você nío a ouviu.

Nío há como suprir a miséria alheia com a tua condenada, nío há como enxergar o que é felicidade se seus olhos ao invés de olhar pro horizonte, se fecham para o nada.

Você nasceu livre-¦e se encaminhou espontaneamente pra tua cela-¦pois todas as vezes que você precisou tomar uma decisío na vida, você massacrou a tua verdade, só ela te ajuda a -œfazer a coisa errada--¦ e essa coisa que você tanto rejeitou, é teu único bem, a única arma que você recebeu, te chamam de louco se você pegar uma arma, mas você é apenas um herói que precisa dessa espada, pra seguir feliz e pleno durante a tua jornada.

Você é seu próprio dono! Arranque tua espada da tua pedra, enquanto nío se enxergar como rei nío vai tomar o que é seu, ser plebeu da vida é fazer sempre a escolha errada.

Pobre é aquele que procura sua riqueza nas ruas, o rico sabe que dentro de si, ela está sempre resguardada.